quinta-feira, 10 de julho de 2014



Retratação


Essa poetisa aqui vem lhe pedir retratação,
Pelas atitudes e palavras ditas em vão,
Palavras ditas com insensatez,
Eu sei, já não foi a primeira vez...

Sei que é difícil ser a parte que concede o perdão,
Mas amor, desculpe pela chateação!
Agora dói em meu coração,
Ter perdido a minha razão,
Por coisas que são tuas, só tuas!

Quem sou eu pra querer,
Apagar coisas que pertencem só a você,
É como se desejasse que tivesse um lapso de memória,
Imagina agora o tamanho do meu arrependimento,
Mas agora não tem mais jeito,
O que foi dito está dito,
O que foi não pode ser mudado,
Inclusive o passado,
Que é teu, somente teu!

Eu fui uma tola!
Estes medos a toa...
Acho que te perguntas... como foi que ela mudou?
Por que motivo sentes tantos medos e receios?
Onde está aquela que conheci?
As vezes a olho e não reconheço!
Eu não vejo o brilho primeiro,
Que nos fez chegar até aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário