quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Derradeiro



Baby, deixe-me lhe dizer uma coisa:
Esta é a última noite que fazemos amor,
Este é o último segundo que continuo lhe amando,
Sim... estamos próximos do fim a cada minuto.

Baby, eu andei lendo os seus recados,
Eu sei,  eu não deveria os ter lido...
Mas sabe de uma coisa?
Agora eu sei, que com você é sempre a última vez.

Honey, está é a derradeira lágrima que eu derramo por ti,
Sabe por quê?
Porque estou sempre a beira de um abismo esperando que tudo termine.

Leve-me daqui... Leve como o ar,
Ama-me amor, 
Com toda fúria, com louvor, com paixão.
Morra e renasça dentro de mim,
O fim do início, o último suspiro.

Baby, eu imaginei um milhão de possibilidades,
Eu sei, não deveria ter pensado,
Mas sabe de uma coisa?
Eu e você nunca teremos fim...
Porque eu já decidi,
Nada abala o que eu quero pra mim...

2 comentários:

  1. Passei aqui lendo. Vim lhe desejar um Natal agradável, harmonioso e com sabedoria. Nenhuma pessoa indicou-me ou chamou-me aqui. Gostei do que vi e li. Por isso, estou lhe convidando a visitar o meu blog. Muito simplório por sinal. Mas, dinâmico e autêntico. E se possivel, seguirmos juntos por eles. Estarei lá, muito grato esperando por você. Um abraço e fique com DEUS.

    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Flavia!!! Amei seus blogs!!!
    Bjos!!!!

    ResponderExcluir